Para comemorar o dia da Escola de Ciências e Tecnologia, da Universidade de Évora (UÉ), realiza-se no próximo dia 27 de abril o Festival da Ciência’22, que vai animar o Colégio Luís António Verney, edifício da UÉ situado junto ao jardim público da cidade eborense com atividades para todas as idades e entrada livre.

“Queremos proporcionar aos jovens e ao público em geral oportunidades para explorar, simular, experimentar, discutir questões de interesse e preocupação científicas, para se divertir com ciência” realça Clara Grácio, diretora da Escola de Ciências e Tecnologia (ECT) da academia alentejana sobre o Festival de Ciência`22 que conta com a participação de todos os departamentos, centros de investigação e laboratórios da ECT.

“O nosso objetivo foi o de apresentar uma panóplia de atividades” frisa Clara Grácio, destacando-se a programação de robots, com um pequeno braço robótico ou a análise de fragmentos de pintura mural do Séc. XVI, machados do Neolítico, têxteis do Séc. XVI ou metais do Séc. XII com um microscópio digital ou microscópio ótico, ou a leitura da altura das árvores com um hipsómetro ou “como varrer o CO2 para debaixo do tapete?, entre muitas outras preparadas especialmente para esta iniciativa.

Inserida na programação do Festival de Ciência, destaque para a palestra por Miguel Castanho, docente da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa e investigador do Instituto de Medicina Molecular, com o título “À caça do vírus no corpo humano” e agendada para as 15h30m bem como a performance “Palavras Ditas” pelos alunos do 1.º e 2.º ano, do Curso Profissional Intérprete/Ator/Atriz, da Escola Secundária André de Gouveia, de Évora, pelas 15h.  Com a atividade “O Sabor não ocupa lugar”, a Dieta Mediterrânica terá a sua presença com a colaboração da Escola de Saúde e Desenvolvimento Humano da UÉ.

A anteceder o encerramento deste Festival de Ciência`22, há ainda tempo para escutar o Quinteto de Clarinetes do Departamento de Música da Escola das Artes da UÉ, que interpretará as Danças Populares Romenas Sz. 56, BB 68 de B. Bartók, compositor que era um entomólogo amador e várias das suas obras refletem o fascínio pelo mundo dos insetos.

“Em suma, pretendemos que toda a comunidade tenha a oportunidade de se envolver neste Festival de Ciência, e celebrar a ciência e a alegria da descoberta científica” resume Clara Grácio em forma de convite.

Refira-se que este evento é organizado pela Escola de Ciências e Tecnologia da Universidade de Évora, com a colaboração da Escola de Artes e Escola de Saúde e Desenvolvimento Humano, da Universidade de Évora, da Escola Secundária André de Gouveia, e com o apoio da Câmara Municipal de Évora.

Fonte: Nota de Imprensa / Universidade de Évora

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, introduza o seu comentário!
Please enter your name here