Ao fim de quatro anos de investigação, espeleólogos da EDIA, com a colaboração do biólogo Tiago Marques da Universidade de Évora, conseguem confirmar e identificar um abrigo de Morcegos de Ferradura Mourisco (Rhinolophus mehelyi) na Herdade da Coitadinha, Parque de Natureza de Noudar, em Barrancos, e que será, provavelmente, o maior e mais importante do género em Portugal, registando para cima de dois mil indivíduos.

Os dados em Portugal, confirmam a presença desta espécie nas regiões do Sul e do Centro e, muito pontualmente, no interior Norte.

No “Livro Vermelho dos Mamíferos de Portugal Continental” e no “Atlas dos Morcegos de Portugal Continental”, está entre as que têm um estatuto de conservação muito desfavorável, com uma classificação de espécie criticamente em perigo.

Tratando-se de uma espécie quase exclusivamente cavernícola, abriga-se sobretudo em grutas e minas abandonadas. Devido à escassez de abrigos, com as condições e características de que necessitam, é muito frequente a aglomeração destes morcegos num número reduzido de locais, pelo que a perturbação ou alteração das condições de um único abrigo pode comprometer uma enorme percentagem de indivíduos desta espécie.

Esta identificação surgiu durante os trabalhos desenvolvidos no âmbito do apoio que a EDIA tem prestado ao Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas, ICNF, na monitorização dos abrigos de morcegos de importância nacional que se localizam na área do Empreendimento de Fins Múltiplos do Alqueva, EFMA, e suas áreas limítrofes, apoio que se tem vindo a realizar desde 2007, fazendo a avaliação de mais sete abrigos com esta classificação.

Só agora, em 2022 e durante a hibernação dos morcegos, se conseguiu o acesso à colónia de morcegos tendo-se contabilizado para cima de 2000 indivíduos.

Fonte: Nota de Imprensa / EDIA

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, introduza o seu comentário!
Please enter your name here