Alentejo Hoje
Twitter rectangular

Escola de Enfermagem da Universidade de Évora comemorou 60 anos

Região Alentejo continua a ter falta de enfermeiros

A região Alentejo continua com falta de enfermeiros porque o Estado não contrata estes profissionais de saúde, levando-os a saírem do país em busca de oportunidades. A afirmação é feita pelo director da Escola de Enfermagem São João de Deus (ESESJD), Manuel Lopes, na semana em que esta instituição assinalou seis décadas de existência.

Maria Antónia Zacarias

13 Março 2015 | Fuente: Redação D.S.

O dirigente salienta que a taxa de empregabilidade, na maioria no estrangeiro, dos recém-licenciados é elevada, o que a seu ver, releva a qualidade do ensino prestado. Assente neste reconhecimento, a escola quer fazer mais pela sociedade, estando a elaborar um projecto inovador que pretende implementar até ao final do ano e que visa proporcionar um envelhecimento de qualidade. Manuel Lopes garante que a Escola de Enfermagem da UÉ é “uma escola do futuro”.

O director da escola explica que, por força da circunstância que tem a ver com a incapacidade do Estado em contratar profissionais, “claramente faltam enfermeiros no Alentejo”. Em termos da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE), Portugal está claramente abaixo do número de enfermeiros por cem mil habitantes, justificando, assim, o facto de “continuarmos a precisar destes profissionais de saúde”, uma vez que “a maioria acaba por emigrar”. Esta situação leva o mesmo responsável a afirmar que a taxa de empregabilidade continua a ser alta porque “muitos dos nossos licenciados vão procurar emprego no estrangeiro, mais precisamente em Inglaterra, Alemanha, Suíça e em muitos outros países”.

De acordo com o dirigente, esta escola de enfermagem é “uma referência” e o exemplo disso é que “no próprio dia da instituição tivemos várias empresas de recrutamento de enfermeiros. Aliás, são cada vez mais, de ano para ano, as que nos procuram”.

Projecto “Envelhecer em casa com saúde” avança até final de 2015

Contudo, Manuel Lopes salienta que, apesar da carga história de existência que assinala seis décadas, esta escola não quer ficar parada no tempo, estando a trabalhar num projecto inovador denominado “Envelhecer em casa com saúde”.

Neste sentido foi assinado um protocolo genérico entre a Universidade de Évora e a Universidade Nova de Lisboa e, depois, um específico de colaboração entre a Escola de Enfermagem São João de Deus (ESESJD) e a NOVA Medical School - Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Nova de Lisboa.

O projecto “Envelhecer em casa com saúde” tem como objectivo criar condições para que os idosos possam permanecer nas suas casas, levando até casa das pessoas os cuidados de saúde. “Todos os que prestam cuidados a idosos, desde os enfermeiros, médicos, fisioterapeutas, cuidadores informais irão trabalhar em conjunto para que os cuidados cheguem aos idosos e, ao mesmo tempo, vamos tentar criar em casa deles ambientes e contextos para que estes possam estar em casa em segurança”, explicita o director da escola.

O mesmo dirigente anuncia que esta iniciativa vai ser candidatada ao quadro comunitário “Alentejo 2020”, brevemente, e adiante que pretende que seja implementada no terreno até ao final deste ano.

“Temos, neste momento, reunidas as condições para promover o envelhecimento activo e saudável no Alentejo”, reitera. E acrescenta: “Posso afirmar que a ESESJD é pioneira e esta foi a forma que esta escola, que tem 60 anos, encontrou para se afirmar. Não em função da sua história, mas em função do seu futuro. Porque nós somos uma escola do futuro”.

Opinião dos nossos leitores

Dê-nos a sua opinião

Incorrecto
NOTA: As opiniões sobre as notícias não serão publicadas imediatamente, ficarão pendentes de validação por parte de um administrador.

NORMAS DE USO

1. Deverá manter uma linguagem respeitadora, evitando conteúdo malicioso, abusivo e obsceno.

2. www.alentejohoje.com reserva-se ao direito de eliminar e editar os comentários.

3. As opiniões publicadas neste espaço correspondem à opinião dos leitores e não ao www.alentejohoje.com

4. Ao enviar uma mensagem o utilizador aceita as normas de utilização.