Twitter rectangular
Alentejo Hoje

Ministro Miguel Poiares Maduro visitou infraestruturas em Évora

“Transferência de tecnologia para as empresas é fundamental para o desenvolvimento do Alentejo”

O ministro-Adjunto e do Desenvolvimento Regional, Miguel Poiares Maduro deslocou-se anteontem a Évora para visitar quatro infraestruturas beneficiárias de fundos europeus, integradas no Sistema Regional de Transferência de Tecnologia (SRTT), e que envolve 21 parceiros, nomeadamente a Universidade de Évora, os Politécnicos de Beja, Portalegre e Santarém, agentes e empresas do Alentejo. O périplo começou pela incubadora BrainLink da Associaçã

Maria Antónia Zacarias

27 Março 2015 | Publicado : 16:08 (27/03/2015) | Actualizado: 16:09 (27/03/2015) | Fuente: Redação D.S.

O ministro Miguel Poiares Maduro afirmou ter ficado “com uma impressão muito positiva” daquilo que está a ser feito no Alentejo, no sentido de promover a transferência de conhecimento do sistema científico das universidades, dos institutos politécnicos para o tecido empresarial e para as empresas. Em seu entender, para que o país consiga vencer o desafio da competitividade, “que é fundamental para podermos crescer com sustentabilidade, com mais e melhor emprego”, é muito importante existir um tecido económico que inova.

O governante considerou o Parque de Ciência e Tecnologia do Alentejo (PCTA), projecto apoiado por fundos europeus, como um exemplo claro da promoção dessa transferência de conhecimentos, afirmando estar na linha daquilo que “reforçamos e muito no âmbito do próximo ciclo de fundos europeus do Portugal 2020, em que vamos continuar a apoiar incubadoras, parques tecnológicos, mas vamos também apoiar a criação de unidades de investigação e conhecimento nas empresas, nas universidades, em relação com as empresas”.

O ministro anunciou que vai ser aberto, em breve, um concurso no âmbito da inserção de pessoas altamente qualificadas nas empresas, com mestrados, com doutoramentos, “isto é, será para a atracção e contratação de pessoal altamente qualificado, o que é uma novidade que creio que irá contribuir para aumentar a capacidade de inovação e a base tecnológica das nossas empresas”. A seu ver, isto é fundamental para que as empresas “possam subir na cadeia de valor, serem mais competitivas e terem maior capacidade de se internacionalizarem”.

Miguel Poiares Maduro adiantou também que os concursos vão ainda apoiar à criação de projectos start up’s, projectos sementes, de prototipagem, “as chamadas provas de conceito”, sublinhando haver todo um conjunto de instrumentos que “vão, de forma muito alargada, e com novidades face ao passado, ser apoiadas pelo Portugal 2020 e que eu acredito que vão servir para promover essa transferência de conhecimento científico para as empresas”.

Presidente da CCDRA garantiu ser necessário
haver estímulos à inovação produtiva

O presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Alentejo (CCDRA) utilizou uma “imagem” para explicar o que está a acontecer neste território com o surgimento destas incubadoras. “Estamos a terminar o hardware para que a seguir possamos pôr a funcionar o software”, frisou. António Costa Dieb referiu que, a partir de Junho, quando estes investimentos estiverem terminados “irão desenvolver-se um conjunto de actividades de atratividade empresarial, transferência de tecnologia e conhecimento bem como estímulos à inovação produtiva”.

De acordo com o mesmo responsável, estão criadas as condições para os agentes regionais da ciência e tecnologia do Alentejo desenvolvam a sua actividade em condições de igualdade competitiva com outras regiões do país. Não obstante, salientou que “além destes investimentos localizados em Évora é sempre bom recordar que esta rede tem uma dimensão regional, tem também investimentos no Instituto Politécnico de Portalegre, no Instituto Politécnico de Beja e de Santarém e agrega além da Universidade de Évora, muitos outros centros”.

António Costa Dieb sublinhou que há, cada vez mais, promotores a contactarem a CCDRA “mostrando grande disponibilidade e vontade”. Neste caso concreto da ciência e tecnologia, o dirigente garantiu existirem meios financeiros significativos e bons agentes “e, portanto, há que os manter juntos, agregados e estimulá-los a fazerem bem o seu papel”.

Poiares Maduro apela aos municípios para tirarem partido do Portugal 2020

O ministro-Adjunto e do Desenvolvimento Regional, em declarações aos jornalistas no final da visita, rejeitou a reivindicação da Associação Nacional dos Município Portugueses (ANMP) para adiar “por mais um ano” o fecho do anterior quadro comunitário de apoio. O governante disse que “as regras que determinam o encerramento do Quadro de Referência Estratégica Nacional (QREN) são europeias e apontam o final de 2015 como data limite para a utilização desses fundos”. E acrescentou: “Dada a celeridade”com que Portugal iniciou o novo quadro comunitário de apoio, os municípios, muito em breve, poderão apresentar as suas candidaturas”.

A seu ver, o que tem de ocorrer “é a execução plena da execução dos fundos do QREN e, ao mesmo tempo, os municípios conseguirem tirar partido já dos fundos do novo quadro do Portugal 2020”.

Opinião dos nossos leitores

Dê-nos a sua opinião

Incorrecto
NOTA: As opiniões sobre as notícias não serão publicadas imediatamente, ficarão pendentes de validação por parte de um administrador.

NORMAS DE USO

1. Deverá manter uma linguagem respeitadora, evitando conteúdo malicioso, abusivo e obsceno.

2. www.alentejohoje.com reserva-se ao direito de eliminar e editar os comentários.

3. As opiniões publicadas neste espaço correspondem à opinião dos leitores e não ao www.alentejohoje.com

4. Ao enviar uma mensagem o utilizador aceita as normas de utilização.