Twitter rectangular
Alentejo Hoje

Escola de Hotelaria e Turismo de Portalegre comemorou seis anos

Direcção quer reforçar a afirmação do estabelecimento de ensino no Alentejo

Escola de Hotelaria e Turismo de Portalegre assinalou o dia de aniversário de actividade lectiva com várias actividades. Workshops e a prova de “fogo” de confecionar o almoço para cerca de 40 pessoas, a fim de celebrar a efeméride foi o desafio lançado aos alunos desta escola. O resultado final parece ter agradado a todos, o que de acordo com a directora da escola é revelador da formação prestada e do trabalho dos formandos. Maria Conceiçã

Maria Antónia Zacarias

17 Dezembro 2014 | Fuente: Redação D.S.

Tendo em conta que é uma escola profissional, que cursos são aqui lecionados?

O início dos cursos é todos os anos no dia 27 de Setembro, Dia Mundial do Turismo. Nós formamos alunos em duas áreas essenciais: cozinha e restaurante, mas em três níveis. Formação nível 4, alunos que concluem o 9.º ano e que vêm fazer três anos, ficando com equivalência ao 12.º ano. Temos, depois, formação de nível 5 para alunos que já concluíram o 12.º ano e que ingressam para fazer cursos de especialização tecnológica, neste caso na área da gestão e produção de cozinha e gestão hoteleira. E temos um terceiro modelo de formação, denominado de dual, que são cursos on job, que têm a duração de um ano, que são cursos de nível 4 e de rápida inserção no mercado de trabalho. Todos os cursos têm uma forte componente prática e estágios através da nossa rede de parceria com várias instituições a nível regional, nacional e até no estrangeiro.

Quantos alunos frequentam este estabelecimento de ensino? E de onde são oriundos?

Neste momento, frequentam a escola 135 alunos. Nós temos capacidade para ter 250 alunos em formação. No entanto, face à estrutura que dispomos e aos meios existentes, para que tudo esteja optimizado, o número ideal de formando pauta-se entre os 190 e os 200 alunos. Esta será a carga óptima da escola para funcionar. Quanto à proveniência, inicialmente, os alunos eram de regiões contíguas ao distrito de Portalegre e do próprio distrito. Entretanto, temos vindo a alargar e, actualmente, a escola tem alunos desde Viana do Castelo até ao Algarve.



Taxa de empregabilidade ronda os 80 por cento

Falemos em empregabilidade, qual é a taxa média?

Nós não temos a informação com detalhe ao nível da escola. Contudo, todos os anos, a Rede de Turismo de Portugal, nomeadamente a direcção de formação, faz uma avaliação da taxa de inserção no mercado de trabalho dos alunos formados pelo conjunto das escolas e, nós, temos números muito animadores com uma taxa de empregabilidade na ordem dos 80 por cento. Isto resulta do facto de prepararmos os alunos para uma profissão e por serem muito empenhados em valorizarem-se profissionalmente. A acrescentar há o facto de a escola dispor de excelentes condições físicas e de qualidade a nível dos formadores que proporcionam aos alunos uma formação de excelência.

Quais são os principais desafios para o futuro?

O grande objectivo passa pela afirmação da escola no território Alentejo. Nós temos que conseguir crescer em termos de número de alunos, que é o que temos vindo a fazer anualmente. Mas temos ainda que cimentar as relações com as unidades de referência da região. Há seis anos, quando a escola abriu, havia um hotel de cinco estrelas na região. Neste momento, temos seis ou sete unidades de cinco estrelas e temos grandes unidades de referência. Portanto, temos que conseguir satisfazer o mercado no patamar de exigência que, neste momento, se nos coloca.

Isabel Guerreiro, directora regional das Pousadas do Alentejo: “Queremos mão-de-obra com qualificação e vamos buscá-la a esta escola de hotelaria”



Para se associar à comemoração do sexto aniversário, a Escola de Hotelaria e Turismo convidou o grupo “Pestana”, parceiro desde o início. Foram convidados três chef’s de várias Pousadas de Portugal, nomeadamente da região Alentejo, para trabalhar com os alunos da escola e para reforçar esta colaboração que todos querem que se mantenha. “Vejo o dia de hoje como mais um momento de uma parceria fantástica que desenvolvemos aqui no Alentejo”, afirmou Isabel Guerreiro, directora regional das Pousadas do Alentejo.

A mesma responsável salientou, enquanto representante de uma entidade privada, que trabalha para o cliente e para o destino “precisamos de gente qualificada, de profissionais que gostem de hotelaria, que queiram seguir hotelaria, com a vantagem de que esta escola está localizada no Alentejo”. A seu ver, ter uma escola de hotelaria que “nos permite ter alunos que podem fazer um percurso no nosso grupo - porque nós vimos aqui buscar esta mão-de-obra com qualificação e qualidade – é decisivo para a prestação de um serviço de qualidade no grupo ‘Pestana’”.

Isabel Guerreiro reiterou que esta parceria é “imprescindível” e “para continuar por muitos anos”, porque aqui “podemos recrutar pessoas, o que é uma mais-valia, sobretudo pelo facto de termos imensa dificuldade de recrutamento de empregados de mesa e de formados na área da cozinha na nossa região”.

Opinião dos nossos leitores

Dê-nos a sua opinião

Incorrecto
NOTA: As opiniões sobre as notícias não serão publicadas imediatamente, ficarão pendentes de validação por parte de um administrador.

NORMAS DE USO

1. Deverá manter uma linguagem respeitadora, evitando conteúdo malicioso, abusivo e obsceno.

2. www.alentejohoje.com reserva-se ao direito de eliminar e editar os comentários.

3. As opiniões publicadas neste espaço correspondem à opinião dos leitores e não ao www.alentejohoje.com

4. Ao enviar uma mensagem o utilizador aceita as normas de utilização.