O Núcleo Regional de Portalegre da Quercus detetou, em pleno mês de agosto, que milhares de carvalhos-negrais(Quercus pyrenaica) estavam a ficar com as folhas amarelas e secas no Norte do distrito de Portalegre, particularmente no concelho de Castelo de Vide, dento do Parque Natural da Serra de São Mamede.

Ainda não se conhecem as causas que terão afetado um tão grande número de carvalhos-negrais, pelo que a Quercus alertou de imediato o Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas, mas, até ao momento, ainda não se conhece o diagnóstico do problema sanitário que está a afetar, de forma inédita o montado de carvalhos-negrais alentejano.

O assunto foi exposto pela Quercus na última reunião da Comissão de Cogestão do Parque Natural da Serra de São Mamede. Foi referido que vários habitantes e proprietários de terrenos já tinham também contactado a autarquia de Castelo de Vide, manifestando preocupação com esta situação.

Suspeita-se que as condições climáticas tenham promovido o problema que afeta essa espécie.

Provavelmente trata-se de um surto de Pulgão-dos-carvalhos (Altica quercetorum) que segundo especialistas, em condições favoráveis como invernos secos e eventualmente verões de grande humidade, pode aumentar o ataque da praga. No Centro e Norte do país, os surtos ocorrem pontualmente, com mais incidência, em situações com alguma degradação e desequilíbrio do ecossistema carvalhal, o que indicia ser um indicador de continuada degradação do carvalhal devido à ação humana. Normalmente em manchas de carvalhal de maior dimensão e melhores condições de equilíbrio do ecossistema tal não ocorre ou a incidência é baixa. No Norte do Alentejano os carvalhos-negrais surgem no sistema de montado, pelo que é essencial uma gestão cuidada, para evitar o declínio do ecossistema.

Esperamos pela avaliação e diagnóstico desta situação de declínio, no sentido de esclarecer os proprietários e as pessoas sobre o assunto.

Nota sobre o Carvalho-negral

O Carvalho-negral é uma espécie que ocorre principalmente no Norte e no Centro do país, mas que tem na Serra de São Mamede um núcleo importante, isolado das restantes populações. A Serra de São Mamede, devido à sua altitude (o ponto mais alto a Sul do Tejo com 1027 m) cercada pela peneplanície alentejana, funciona como uma barreira de condensação da humidade. O ar, vindo do oceano sobe, arrefece e verifica-se, na serra, uma maior precipitação que nas zonas circundantes. Esta elevação surge como uma ilha climática, tendo por isso uma grande biodiversidade de flora e de fauna.

O Carvalho-negral não dispõe de nenhuma proteção legal. É importante proteger também esta espécie e principalmente os ecossistemas de que faz parte, pois é uma espécie autóctone de Portugal importante para conservação.

A Quercus adotou como símbolo uma folha e uma bolota de Quercus pyrenaica, uma espécie representativa da floresta e biodiversidade portuguesa que urge proteger.

Fonte: Nota de Imprensa / Quercus

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, introduza o seu comentário!
Please enter your name here