A Universidade de Évora (UÉ) lidera 4 novos projetos no âmbito do Concurso FCT de Projetos de IC&DT em Todos os Domínios Científicos e participa em mais três. Os resultados foram recentemente conhecidos e conferem à Universidade de Évora um orçamento na ordem dos 500 mil euros. 

Foi o Laboratório HERCULES a ver o maior número de projetos aprovados na UÉ, 3 no total. O primeiro, intitulado “ROADMAP – Research On Antonio De Holanda Miniatures Artistic Production” é coordenado por Catarina Miguel e conta com um orçamento a rondar os 250 mil euros. Já o projeto “PP-nGLASS” – An Interdisciplinary study of the impact of the Phoenician-Punic natron glasstrade in Iberian communities” é coordenado por Mafalda Costa do mesmo Laboratório, enquanto o projeto “Eco-STONE PROTEC”- Eco-friendly superhydrophobic hybrid coatings for STONE PROTECtion, conta coma coordenação do investigador Pedro Barrulas.

Por seu turno, o Instituto Mediterrâneo para a Agricultura, Ambiente e Desenvolvimento da Universidade de Évora (MED) lidera o projeto “NemaWAARS” – Amotif to unveil mechanisms of parasitism gene regulation in the pinewood nematode as a target for disease control and plant resistance”, coordenado pela investigadora Margarida Espada. Enquanto entidade participante a Universidade de Évora está envolvida em mais três projetos, o“FYT-ID – Fifty years of teaching: factors of change and intergenerational dialogues”, coordenado na UÉ por Maria Assunção Folque, investigadora do Centro de Investigação em Educação e Psicologia; no projeto “COMMEMORtis – What survives after death? Parish communities and death commemoration strategies in the medieval city”, coordenado na UÉ por Hermínia Vilar,investigadora no Centro Interdisciplinar de História, Cultura e Sociedades (CIDEHUS), e por último, no projeto “LouMu – Muography as a new tool for geophysics” que vai contar com a coordenação na UÉ pelo investigador do Instituto de Ciências da Terra, Mourad Bezzeghoud. 

Este concurso, com uma dotação orçamental de 75 milhões de euros, apoia duas tipologias de projetos, ou seja, Projetos de investigação científica desenvolvimento tecnológico (IC&DT), com uma duração de 36 meses financiamento máximo por projeto de 250 mil euros, com uma dotação de 60 milhões de euros, bem como projetos de investigação de caráter exploratório(PeX), com uma duração de 18 meses e financiamento máximo por projeto de 50 mil euros, com uma dotação de 15 milhões de euros. As candidaturas foram avaliadas por 33 painéis de avaliação, em diferentes áreas científicas, tendo participado na avaliação 577 avaliadores externos estrangeiros distribuídos por 34 nacionalidades e dos quais 50,6% eram mulheres.

Cada proposta foi avaliada e classificada pelo mérito científico e caráter inovador do projeto, mérito científico da equipa de investigação, exequibilidade do programa de trabalhos e contributo para a acumulação de conhecimentos e competências. Em cada painel, as propostas foram ordenadas pela sua classificação e a seleção foi feita de modo a que a taxa de sucesso fosse semelhante em todos os painéis de avaliação em termos de volume de financiamento elegível solicitado.  

O concurso de projetos de IC&DT em todas as áreas científicas tem uma periodicidade anual e integra o conjunto dos grandes concursos estruturantes da FCT.

Fonte: Universidade de Évora

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, introduza o seu comentário!
Please enter your name here