A Associação Eborae Musica promove, no Convento dos Remédios, nos dias 12, 19 e 20 de setembro o XVIII Ciclo de Concertos “A Quaresma na Escola de Música da Sé de Évora”, que estava previsto para o mês de março mas que por causa da pandemia covid-19 teve de ser adiado. O ciclo prossegue dia 19 de setembro às 21h30 – Cupertinos, com direção de Luís Toscano.

O programa é exclusivamente dedicado a Manuel Cardoso (1566-1650): Lamentationes 1:6-7 [Vau. Et egressus est] a 6; In monte oliveti; Tristis est anima mea; Missa Pro Defunctis a 4: Introitus, Kyrie, Graduale, Offertorium, Sanctus & Benedictus, Agnus Dei, Communio; Tua est potentia a 6; Domine tu mihi lavas pedes; Amen dico vobis; Cum audisset Joannes; Ipse est; Omnis vallis; Quid hic statis a 5; Magnificat secundi toni; Sitivit anima mea a 6.

             

Cupertinos – Nascido no seio da Fundação Cupertino de Miranda, Vila Nova de Famalicão, em 2009, o grupo vocal Cupertinos dedica-se quase em exclusivo à música portuguesa dos séculos XVI e XVII, alicerçada num núcleo de compositores de renome mundial como Duarte Lobo (c.1565-1646), Manuel Cardoso (1566-1650), Filipe de Magalhães (c.1571-1652) ou Pedro de Cristo (c.1550-1618).

 Além do Festival Internacional de Polifonia Portuguesa, do qual são anfitriões, os Cupertinos têm participado em conceituados festivais de música. Após a estreia no Reino Unido, em Fevereiro de 2020, na série de concertos “Choral at Cadogan”, futuros compromissos incluem a apresentação no Wigmore Hall em Janeiro de 2021, na Alemanha em Maio de 2021 – Festival “Tage Alter Musik” em Regensburg – e na Estónia em Julho de 2021 – “Haapsalu Early Music Festival”.

 Crescentemente reputados como verdadeiros embaixadores da Polifonia Portuguesa, os Cupertinos viram este epíteto reforçado com o recente lançamento do seu primeiro trabalho discográfico, dedicado a Manuel Cardoso. Editado pela prestigiada etiqueta Hyperion, este CD é presença assídua nas rádios clássicas por toda a Europa e tem sido aclamado na imprensa da especialidade (BBC Music Magazine, Gramophone, Choir & Organ, Chorzeit). Conquistou o primeiro galardão com a inclusão na “Bestenliste” da “deutscher Schallplattenkritik” e foi distinguido nos Gramophone Classical Music Awards 2019, vencendo na categoria de “Música Antiga”.

Luís Toscano – Após ter iniciado a sua actividade como coralista no Coro dos Pequenos Cantores de Coimbra, prosseguiu os seus estudos musicais no Conservatório de Música de Coimbra, obtendo, em simultâneo, a Licenciatura em Economia na Universidade de Coimbra. Subsequentemente, foi bolseiro da Fundação para a Ciência e a Tecnologia num projecto de investigação, edição e interpretação de música portuguesa dos séculos XVI e XVII e concluiu o Mestrado em Música na Universidade de Aveiro.

 Actualmente, é aluno de Doutoramento em Estudos Artísticos | Estudos Musicais e colaborador do Centro de Estudos Clássicos e Humanísticos da Universidade de Coimbra.

 É director musical e membro do grupo Cupertinos (Cappella Musical Cupertino de Miranda). É também co-fundador do grupo La Farsa e membro do Grupo de Fado Aeminium, da Capela Gregoriana Psalterium, do Coro Casa da Música e do Ars Nova Copenhagen. Colabora regularmente com outros grupos, tais como The Brabant Ensemble (UK), Theatre of Voices (DK), Ludovice Ensemble (PT), Contrapunctus (UK), Musica Ficta (DK), Vocal Ensemble (PT) e Los Afectos Diversos (ES).

O ciclo continua dia 20 de setembro às 18h00 – Officium Ensemble, direção de Pedro Teixeira.  Este é um ciclo dedicado à polifonia da Escola de Música da Sé de Évora criada para o período da Quaresma.

Este ciclo de concertos é organizado pela Eborae Mvsica – Associação Musical de Évora, entidade financiada pelo Ministério da Cultura-DGArtes, com o apoio da Câmara Municipal de Évora, Diário do Sul, Rádio Diana, Antena2, A Defesa, Registo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, introduza o seu comentário!
Please enter your name here