A Associação Eborae Musica promove nos dias 12, 19 e 20 de setembro o XVIII Ciclo de Concertos “A Quaresma na Escola de Música da Sé de Évora”, que estava previsto para o mês de março mas que por causa da pandemia covid-19 teve de ser adiado. O ciclo inicia-se com dia 12 de setembro às 18h00 – Coro Polifónico “Eborae Mvsica”, direção de Eduardo Martins.

Programa:

Missa pro defunctis- Introitus – Duarte Lobo; De profundis – E. Lopes Morago; Se dormis cristãos- F. Lopes-Graça; Oculi Mei – E. Lopes Morago; Rezemos um padre nosso – F. Lopes-Graça; Pater Peccavi  – Duarte Lobo; Missa pro defunctis (a 6)- Sanctus – Duarte Lobo; Adjuvanos –  D. Dias Melgaz ; Alerta, alerta-  F. Lopes-Graça; Missa pro defunctis (a 6) – Agnus Dei – Duarte Lobo; In illo tempore – Estevão de Brito; Ó almas que estais dormindo- F. Lopes-Graça; Lucis Creator Optime – Estêvão de Brito; Sitivit anima mea – Manuel Cardoso. 

Coro Polifónico “Eborae Mvsica” –Fez a sua primeira apresentação pública em setembro de 1987, incluído no acontecimento cultural “Os Povos e as Artes” o Coro Polifónico da Associação Musical de Évora – EBORAE MVSICA. Interpreta predominantemente a polifonia da Escola de Música da Sé de Évora (sécs. XVI e XVII) mas também outras obras de diferentes épocas, como exemplo, a Oratória “Jephte”, de Carissimi, a “Missa da Coroação”, de Mozart, o “Gloria”, de Vivaldi, a Missa em Dó Maior, de Mozart, para Coro e Órgão, Missa em Sol M de Carlos Seixas), Missa em RéM op.86 de A.Dvorák. Em Kosice, Eslováquia, a convite do Coro da Universidade Técnica de Kosice; no XVI Festival Internacional “Encontro com a Polifonia” em Giarre, Sicília, Itália em 2001, na Dinamarca, em 2002, com o Coro de Roskilde, integrado na Rede MECINE e no 22ºFestival de Coros de Preveza e 10º Concurso Internacional de Música Sacra de Preveza, Grécia (2004)e mais recentemente a participação no Festival de Coro de Florença (Itália) onde obteve três prémios. O Coro Polifónico foi dirigido até Outubro de 1991, pelo Dr. Adelino Santos. A partir de 91, e até 97, passou a contar com a regência do Maestro Francisco d’Orey;desde princípios de 97 e até Maio de 2013 teve a direção do Maestro Pedro Teixeira. Atualmente é dirigido pelo Maestro Eduardo Martins.

Eduardo Martins – Natural do distrito de Aveiro, completou o curso de piano no Conservatório de Música Calouste Gulbenkian de Aveiro. Licenciado com bolsa de mérito em Formação Musical e Direção Coral pela Escola Superior de Música de Lisboa (ESML), é neste momento Mestre em Direção Coral pela mesma escola; trabalhou com os professores Paulo Lourenço, Vasco Azevedo e Alberto Roque. Dirigiu vários coros entre os quais o Coral de Letras da Universidade de Coimbra e o Grupo Coral Laudamus – Ovar, e o Coro Sacro e Coro de Câmara da ESML. Atualmente dirige o Coro Polifónico Eborae Musica – Évora, o Grupo Coral ViVaVoz – Oeiras, Coro da Universidade de Lisboa e pontualmente o Coro Tejo – Lisboa. Participa regularmente como cantor ou pianista em vários projetos musicais, entre os quais o Officium Ensemble (dedicado à interpretação de polifonia renascentista) ou como cantor nos projetos do mpmp (movimento patrimonial pela música portuguesa). Leciona ainda aulas de Formação Musical e Coro no ensino especializado da Música – Escola de Música Nossa Senhora do Cabo – Linda-a-Velha.

O ciclo continua dia 19 de setembro às 21h30 com o Grupo Vocal Cupertinos, direção de Luís Toscano e dia 20 de setembro às 18h00 – Officium Ensemble, direção de Pedro Teixeira.  Este é um ciclo dedicado à polifonia da Escola de Música da Sé de Évora criada para o período da Quaresma.Este ciclo de concertos é organizado pela Eborae Mvsica – Associação Musical de Évora, entidade financiada pelo Ministério da Cultura-DGArtes, com o apoio da Câmara Municipal de Évora, Diário do Sul, Rádio Diana, An    

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, introduza o seu comentário!
Please enter your name here