Numa conferência de imprensa realizada esta manhã na Administração Regional de Saúde do Alentejo foram confirmados 56 casos de COVID-19 no concelho de Reguengos de Monsaraz, 16 casos positivos em trabalhadores da Fundação Maria Inácia Vogado Perdigão Silva (FMIVPS) e 40 casos positivos em utentes da Estrutura Residencial Para Pessoas Idosas (ERPI). Há ainda três casos inconclusivos (um trabalhador e dois utentes) que vão repetir os testes.

De acordo com a ARS, o foco está já na comunidade, havendo garantias de que estão a ser feitos os estudos epidemiológicos sobre os contactos dos infetados. De salientar ainda que é possível virem a existir mais casos nos concelhos limítrofes, nomeadamente em Mourão.
Neste momento, o estado de saúde dos funcionários infetados “é estável”, continua a corresponder a uma ausência de sintomas graves, encontrando-se todos a recuperar nas suas habitações. Relativamente aos utentes com testes positivos foram efetuados contactos com as respetivas famílias encontrando-se um utente hospitalizado, tendo um outro já tido alta esta manhã.

Todos os restantes estão a ser observados pelos médicos do Centro de Saúde de Reguengos de Monsaraz para fazer uma avaliação precisa do estado de saúde, assegurando a ARS que se houver necessidade serão transportados para a urgência hospitalar do Hospital do Espírito Santo de Évora.

A acrescentar que os idosos infetados vão ficar nas instalações da instituição, podendo os não infetados serem alocados para outro local. As visitas foram interditas.

A Autoridade Regional de Saúde apela a comportamentos responsáveis e ao cumprimento das regras apontadas pela Direção Geral de Saúde, nomeadamente para o distanciamento social, uso de máscaras, etiqueta respiratória e lavagem das mãos, no sentido de que a região Alentejo continue a ser um exemplo como tem sido até aqui em termos de pandemia.

Autor: Maria Antónia Zacarias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, introduza o seu comentário!
Please enter your name here